Segmento artesanal, empreendedorismo ao alcance de todos

Hoje quero compartilhar algumas dicas com quem trabalha com produtos artesanais e deseja expandir suas vendas nas Feiras de Artesanatos que acontecem nas grandes cidades ou nos polos turísticos localizados em diversas regiões do estado.

Nesse segundo semestre, eu comecei a customizar bolsas de palha e a confeccionar colares, brincos e pulseiras feitos com “Fuxico” de pano, como mostrei na postagem anterior. E, assim fiz, contudo, era necessário ofertar e apresentar meu produto, para venda, além das redes sociais, queria um espaço fora da vitrine virtual onde eu pudesse expor meus produtos e, ao mesmo tempo, interagir com o público, clientes ou não, no formato “face to face”. Então, uma boa oportunidade seria participar das Feiras de Artesanatos que acontecem na Cidade do Recife, já que atualmente moro aqui, na busca desse espaço, pude aprender diversas coisas desse novo mundo que também estou trilhando, as quais quero compartilhar com todos vocês.

Assim, preparei dicas para quem quer se inserir nesse universo, todas são baseadas nas orientações que recebi do Programa de Desenvolvimento do Artesanato (PRODARTE), que funciona de segunda a sexta das 8h as 17h no prédio sede da Prefeitura da Cidade do Recife, onde obtive orientação para participar das feirinhas de produtos artesanais organizadas pela Prefeitura, a primeira delas, foi de que é necessário ter a Carteira Nacional do Artesão, dificuldade? Que nada!!! Vou dar todas as dicas!!! Segundo, que para participar dessas feirinhas é necessário pagar um taxa pela “locação” das barraquinhas, são valores irrisórios que giram em torno de R$ 25,00 a R$ 50,00. Agora, vamos ao que interessa, dicas!

· No Estado de Pernambuco, o Artesão deverá comparecer ao Centro de Artesanato, que fica em frente ao Marco Zero – Recife, ou ligar através do número (81) 3181-3457 para agendar uma data com a Gerência do Prodarte, onde o Artesão é submetido a uma avaliação, através de uma demonstração in loco de sua técnica, que vai desde a técnica empregada, montagem e finalização com a apresentação do produto final, pronto para comercilização. No meu caso, como minhas peças são feitas com fuxico, no dia agendado, eu levei o tecido já cortado em círculos e alguns fuxicos prontos. Durante a avaliação, costurei apenas três fuxicos e finalizei as minhas peças com a montagem de colares, brincos e pulseiras. Também é preciso, levar algumas peças prontas, assim, todas as peças são submetida a apreciação da Curadoria de Arte do Centro de Artesanato, e, se aprovada, a Carteira Nacional de Artesão é emitida em até 10 dias úteis, a minha, por exemplo, saiu com três dias.

· Para quem trabalha com máquina de costura ou qualquer outro maquinário pesado, basta levar uma peça pré pronta e lá efetuar a finalização de sua peça/produto.

· Com a carteira em mãos, o artesão deverá voltar ao prédio da Prefeitura, no meu caso foi a de Recife, e, se cadastrar no Prodarte, onde são exigidos os seguintes documentos: copia do RG e CPF, cópia do comprovante de residência atual, cópia da Carteira Nacional do Artesanato, 02 (duas) fotos 3×4, três ou quatro fotos, impressas, das suas peças. Feito isso, Ótimo!

Mas, se você não conseguir a Carteira Nacional do Artesão, outra opção, é participar das feiras particulares promovidas em alguns pontos da cidade, no Próprio Prodarte é possível conseguir informações sobre onde acontecem. Essas tem um custo mais alto por dia de evento, porém, não é um valor inacessível, agora, vamos a luta, espero ter ajudado um pouco com essas dicas. Boas vendas e boa sorte! Tchau!!!

Compartilhe nosso Blog, nas Redes Sociais: